domingo, julho 15, 2007

Entrevista exclusiva com Cristiano Gualda

Cristiano Gualda apresentou durante 5 anos, de junho de 1995 até setembro de 2000 o programa Stargame do canal Multishow (e que durante um bom tempo foi exibido com sinal aberto às parabólicas). Na minha opinião (e de muitos), o Stargame foi o melhor programa de videogame da TV brasileira (até o momento). Grande parte do seu sucesso deve-se ao estilo irreverente e despojado do seu apresentador, e o próprio formato do programa, que casa-se naturalmente com o estilo gamer de ser. Eficiente, divertido e dinâmico.

A entrevista conta com 10 perguntas, todas elaboradas pelos membros da comunidade de games do Orkut Segredos e Rumores dos Games, todas com créditos aos seus autores. Agradeço em nome de toda a comunidade e dos usuários deste blog a atenção que nos foi dada pelo Cristiano.

Segue a entrevista:

1 - Olá, Cristiano! Você já gostava de games, ou apenas se interessou após o convite para fazer o programa (o saudoso Stargame, do canal Multishow)?
(Pedro)

Olá ! Já gostava de games, com certeza, tive um Phantom System (compatível com o Nintendo 8 bits, lembram ?) e ralei muito pra terminar o Legendary Wings ! ( um prêmio pra quem lembrar desse game ! hahaha) Depois do programa passei a jogar muito mais e conhecer os lançamentos em primeira mão, o que era fantásico !

2 - Você prefere os games antigos, aqueles maravilhosos clássicos ou os novos games, com todo seu realismo e exuberância gráfica?
(Pedro)

Confesso que hoje não jogo tanto, principalmente por causa de tempo, então prefiro os games antigos, com menos continuidade.

3 - Um dos pontos fortes do programa era o humor, que não soava forçado. As piadinhas de fim de programa, mãozinha, etc... até que ponto eram planejadas ou fugiam do roteiro? E como era a discussão de idéias para estes momentos engraçados?
(Marcos Valverde)

Hoje em dia vejo que muitos dos fãs do programa adoravam o humor, que era um humor meio inocente, palhaço ( no sentido tradicional e lúdico da palavra ) e sem-compromisso. Sei que alguns telespectadores achavam a coisa toda meio boba, mas o importante é que nós, da equipe Stargame, nos divertíamos muito fazendo, e tínhamos liberdade para tanto. Muita coisa surgia na hora, de improviso, o que dava um frescor para as piadas. Nem mesmo a criação da mãozinha foi muito planejada, era só a gente achar que ia ser engraçado na hora e pronto ! E ela acabou virando minha inimiga número 1 !

4 - Cristiano, o que você acha do atual espaço dado aos games na TV Brasileira ?
(Fellipe Igor)

Parece que o Cybernet ainda é exibido, não é ? Não sei de outros, mas certamente é pouco para uma indústria desse tamanho. Já brigávamos por mais espaço desde 95, quando estreou o Stargame.

5 - Cristiano, nosso jornalismo assim como programas sobre games sempre passam por altos e baixos, gostaria de saber sua opinião: o que falta para que os meios de comunicação tornem mais efetivos os meios de comunicação sobre videogames no Brasil?
(Reinaldo)

Acho que falta a percepção do verdadeiro tamanho desse mercado, coisa que já aconteceu lá fora ( EUA, Japão e Europa, principalmente ). A mídia corre atrás do que faz sucesso e chama a atenção...

6 - O que você acha que falta no mercado de games no Brasil para ele ter um peso no mercado mundial?
(Otacilio Cardoso)

Investimento no mercado nacional, o que não pode acontecer se não houver investimento em educação e tecnologia, para formar profissionais capacitados em todas as áreas de um grande jogo, desde o roteiro até as etapas finais de produção e distribuição.

7 - Atualmente você está encenando o musical "Zé com a mão na porta". Existe alguma relação entre teatro e videogame, que você tenha percebido? Você considera os games uma forma de arte?
(Marcos Valverde)

Sem dúvida ( e isso dizíamos desde a época do programa ), o desenvolvimento de um videogame de qualidade envolve muita criação artística ! Um bom game é uma boa história, antes de tudo, e a capacidade de fazer o jogador se envolver com aquela história ( e isso vale mesmo para games de esporte ou corrida tipo Mario Kart, pois os jogadores têm que ser capazes de se identificar com os PERSONAGENS ).
Portanto, acredito que games, teatro, e outras formas de expressão artística estão intimamente relacionados.

8 - Eu acredito que o grande carisma que você conseguiu passar aos fãs do Stargame deve-se muito às suas qualidades como ator. Na contramão disso, que lições você tirou dos games e que hoje te ajudam na sua profissão de ator?
(Marcos Valverde)

Obrigado pelo elogio. Os games foram parte da minha formação, assim como muitas outras experiências na vida. Acho que a principal conexão entre games e o trabalho de ator é a propria essência do teatro: o jogo. Em inglês, "peça"( de teatro ) é "play", que significa jogar. Qualidades como atenção, reflexo, capacidade de acreditar e se concentrar naquilo que se está fazendo, são fundamentais tanto para um ator quanto para um jogador de videogame.

9 - Cristiano, depois que o programa acabou, o que mudou na sua vida em relação aos videogames? Você continua jogando ou está envolvido com algum projeto sobre games?
(Marcos Valverde)

Continuo jogando, mas com muito menos frequência. E atualmente não estou envolvido com nenhum projeto relacionado a videogames. Mas de vez em quando dou uma escapada a um fliperama ( hahahaha, como chamávamos na minha época ).

10 - Se você recebesse um novo convite pra voltar a fazer um "Stargame" você aceitaria? (Eduardo Daniel) O que faria você voltar a apresentar um programa de videogame hoje em dia? (Marcos Valverde)

Acho difícil, não pelos games, mas porque não tenho muita vontade de trabalhar como apresentador. Se me convidassem só para jogar, quem sabe?
hehehehe [ENTREVISTA]

7 comentários:

Otacilio disse...

Valeu mcs pela idéia e liderança nesse projeto, agradecimentos ao Cristiano Gualda pela atenção com a nossa galera; lamento que ficaram de fora algumas perguntas legais da galera, porém com o número limitado de perguntas enviadas para o entrevistado isso obviamente ocorreria.
Espero que essa seja a primeira de um série de entrevistas, vamos lá firme em direção de mais gente envolvida nesse universo gamístico!!!

gamer_boy disse...

MCS, parabéns pela entrevista com o Cristiano Gualda! :D

JúnioR disse...

Graaande Stargame. Nostálgico. Cristiano Gualda era muito carismático.
Parabenizo pela iniciativa, mas na minha opinião, algumas perguntas foram supérfluas. Poderiam ter dado um pouco mais de ênfase nos trabalhos dele agora e planos futuros.
Mas mesmo assim, parabéns.
Só uma pergunta: como fizeram a entrevista com ele? Pessoalmente? Via e-mail? Abraços

mcs disse...

Então, JúnioR, eu pesquisei sobre o que ele estava fazendo atualmente, e vi que ele não estava mais envolvido com games e já havia respondido a uma outra entrevista dizendo que não tinha intenção de voltar a trabalhar nessa área. Se fôssemos insistir neste ponto, estaríamos falando mais de teatro e menos games. Acho que conseguimos, dentro do possível, falar de uma coisa sem esquecer da outra.
A entrevista foi conseguida por e-mail.

Gosuke disse...

Incrivel, o grande Cristiano galda, supremo apresentador do lendário Stargame, aquele programa era o bicho, simplesmente demais.
realmente uma pena não terem continuado.
Cristiano se vc ler isso, Parabéns
vc fazia o que muitos programas por ai tentam e nao conseguem. realmente animar o horário
muitas saudades daquele tempo de stargame.
muito obrigado a vcs que realizaram a entrevista com o cristiano, me fez lembrar dos bons tempos do insuperável stargame.

Anônimo disse...

Esse programa deixou saudades,pois realmente animava e mostrava os jogos e a debulhação de games como Tomb Raider 2 foram sem par.

Um dia ainda veremos no Brasil essa indústria (videogames) não mais ser tratada pela mídia como "brinquedo de criança"...

Daniel Mearim disse...

Poha, que saudades. Bons tempos que não voltam mais.
Eu faria qualquer coisa para voltar no tempo e poder reviver estes maravilhosos momentos.

Parabéns pela entrevista.